Única chef indígena do país ministra aula de gastronomia no “Na Praia Cultural” desta semana

 

chef Kalymaracaya  foto de ibiapin 2.JPG
Chef Kalymaracaya

 

O Na Praia Cultural  oferece  o Tempero Meu, todas as quintas-feiras de agosto, às 19h, com  aulas-shows que irão desafiar os chefs a elaborarem pratos que tenham ao menos um ingrediente da Arca do Gosto, catálogo criado pelo Slow Food. O objetivo do desafio é dar visibilidade a produtos ameaçados de extinção, mas ainda vivos, com potenciais produtivos e comerciais, como é o caso do pequi, da castanha de baru e do surubim. A temporada do Tempero Meu foi aberta pelo chef Marcelo Petrarca (03), e nesta quinta (10), será a vez da chef indígena Kalymaracaya, que  vai abordar a importância da preservação da culinária terena em seu encontro com o público. Nascida na Aldeia Bananal, em Aquidauana (MS), a chef dividirá a bancada com Eliane Régis Silva de Moura, integrante do Slow Food.

Kalyamaracaya ensinará o Hî-Hi, uma espécie de bolinho de mandioca cozido e envolto em folha de bananeira. A chef conta que a receita foi criada para alimentar os soldados indígenas durante a guerra do Paraguai (1840-1870), que precisavam de uma comida na qual não deteriorasse rapidamente. Por isso, deixavam a iguaria na sombra para secar e depois seguir a longa viagem a cavalo. “Qualquer um pode reproduzir essa receita. No entanto, não é necessário acrescentar açúcar ou sal, para que possa ser utilizada como proteína ou consumida com mel de jataí”, explica a chef.

Nas quintas-feiras seguidas, a chef e apresentadora Bela Gil (17/8), a chef Renata Carvalho (24/8) e a chef Ana Luiza Trajano (31/8), apresentarão suas propostas ao público.

As inscrições para as aulas-shows são realizadas pelo link: https://goo.gl/forms/WjSbdnZjIBaXBKqu1 e condicionadas à aquisição de ingresso pelo aplicativo Te Vejo Na Praia. Esses encontros serão transmitidos ao vivo pelas redes sociais do Na Praia Cultural.

 Sobre a chef

 Letícia Mendes Nogueira, conhecida em meio a seus pares como Kalymaracaya, nome de origem indígena, pertencente a tribo Terena. Cozinheira, nascida na aldeia Bananal Distrito de Taunay de Aquidauana, Mato Grosso do Sul, no dia 12 de Janeiro de 1981, é considerada uma mulher a frente do seu tempo, e a única chef indígena do país.  É formada em turismo pela faculdade FUNLEC–IESF e no Curso Profissionalizante em Cozinha da Escola Ezequiel Ferreira Lima – CEPEF, ambas em Campo Grande.

Aos dois anos de idade mudou-se para a cidade de Campo Grande, onde começou sua vida na cidade. Aos estímulos de sua mãe, avó e tia já ajudava na preparação de alimentos que eram feitos sem muito recurso, no fogão à lenha com ingredientes raros e pouco conhecidos da sociedade não-indígena. Apesar de ir morar na cidade grande, todas as férias escolares viajava para sua aldeia de origem para aprender e vivenciar seus costumes.

O saber indígena contribuiu para mesclar a teoria aprendida em sala de aula e conseguiu acoplar técnicas culinárias indígenas com toque contemporâneo e, sutilmente, reproduzi-las em sua cozinha. Trabalha com ingredientes cultivados na aldeia e preserva na receita sua essência, transformando-a com simples detalhes, mas, que provoca surpresa na apresentação do prato.  Kalymaracaya, participa de programas de televisão e de festivais de gastronomia nacionais e internacionais (Figa – Manaus – AM, Fegasa – Corumbá – MS, CataGuavira, Bonito – MS, Ame Tauná, Santa Cruz de la Sierra/Bolívia) e fez parte da Expedição Fartura 2016, representando Campo Grande. Em 2015, foi parte integrante do projeto de pesquisas com pimentas crioulas de índias Terenas intitulado #AlegriaDoGosto, realizado pelo Instituto Paulo Machado. Desde 2014 é integrante do movimento Slow Food. Atualmente, presta serviços de produção em gastronomia para o programa Comitiva de Sabores, apresentado pelo Chef Paulo Machado, e transmitidos pela TV MS RECORD e Agro Brasil TV.

Na convivência tribal, em prol da comunidade indígena, é secretária do C.C.U.I – Conselho Comunitário Urbano Indígena de Campo Grande/MS, onde luta ao lado de conselheiros por melhorias em diferentes áreas sociais.

 Sobre o Na Praia Cultural

Realizado pela produtora Ipê Cultura e Entretenimento dentro com complexo Na Praia, o projeto Na Praia Cultural leva ao público nomes que se comunicam com diferentes gerações e linguagens por meio de temas como artes visuais, gastronomia, música e teatro. Espaço dedicado às artes, o Na Praia Cultural democratiza o acesso à cultura por meio de ingressos a preços populares, graças ao patrocínio da Riachuelo e da Souza Cruz por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria de Cultura e Governo de Brasília

Na Praia Cultural

Tempero Meu com a Chef Kalymaracaya

Inscrições prévias  no https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdvho7FkSm1gkH-f5Lhs0xa4drEdySTEGR1XMYJ4mq_liGoIw/formResponse

Vagas: 100

R$ 10 (meia) com a doação de 1Kg de alimentos não perecíveis

Local: Orla do Lago Paranoá (atrás da Concha Acústica), Brasília/DF

INGRESSOS À VENDA PELO APP TE VEJO NA PRAIA E SITE WWW.TEVEJONAPRAIA.COM.BR

Classificação: Livre

Informações: 3030-3030

Fb: @culturalnapraia

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: