Degustação dos icônicos vinhos da Vinã Concha y Toro no Bartolomeu em Brasília

0011615f-2d1b-4544-9be2-7c6a37a749e2
Andres Herrera Aristegui, maneger da Vinã Concha y Toro, Lúcia Fernandes, representante da marca em Goías, Su Maestri do Blog Vinho Capital e  João Paulo Araújo, proprietário do Restaurante Bartolomeu.

O empresário João Paulo Araujo proprietário do Restaurante Bartolomeu de Brasília, em parceria com a representante da Vinã Concha y Toro, da região de Goiás, Lúcia Fernandes da Videira representações Ltda, promoveram em um jantar harmonizado com degustação dos vinhos ícones da emblemática Vinã Concha y Toro, todos da casta Carmènére.

A degustação dos rótulos mais conceituados da grande vinícola chilena, foi organizada pela representante da marca Lúcia Fernandes, que está a frente dos negócios com a Concha y Toro desde 2008, quando a vinícola iniciou seus projetos comerciais no Brasil. A degustação contou com a presença do manager para a América Latina Andres Herrera Aristegui, que fez uma apresentação da vinícola, seus vinhos, e projetos comerciais para os próximos anos, anunciando um grande crescimento nas exportações dos produtos da Concha y Toro.

uva-carmenc3a8re

Sobre o terroir Peumo, disse que a vinícola descobriu esse lugar extraordinário no coração do Vale de Chachapoal, um pequeno platô (planalto) próximo ao lago Rapel, onde se localiza o nobre vinhedo com seu micro terroir perfeito para o cultivo da distinta Carmènére, com seu solo de forte influência argilosa e arenosa, boa profundidade, além da proximidade do rio Cachapoal e do lago Rapel, que  importa ao vinhedo uma magnífica contribuição para um criação de um micro clima mediterrâneo úmido.  Características perfeitas para maturação dessa variedade, que precisa de tempo para amadurecimento fenólico.

A Carmènére é uma variedade que precisa de muita atenção na vinícola e no vinhedo, somadas as condições geológicas e uma excelente amplitude térmica com  dias quentes e noites frias. É neste vinhedo que nasce o emblemático Carmín de Peumo, um vinho forte com toda a elegância do velho mundo e vivacidade da fruta do novo mundo.

Este excepcional terroir produz vinhos que na boca mostram muita estrutura, concentração de frutas vermelhas e negras, especiarias, chocolate, notas herbáceas e café, taninos macios, com equilíbrio entre força elegância e um final fresco pela acidez vibrante.

Vamos aos vinhos  degustados:

Na condução da degustação, Andres H. Aristegui falou sobre as peculiaridades  dos vinhos: Concha y Toro Carmín de Peumo Carménère, Concha y Toro de Terrunyo Carménère,   o Winemaker’s Lot 148 Carmenère e por fim o  Marques de Casa Concha Carménère.

1º Vinho: Marques de Casa Concha Carménère

MCC-Carmenere

Ano passado tive o privilégio de participar de uma degustação dos vinhos da Marques de Casa Concha e conhecer o enólogo Marcelo Papas que vem desenvolvendo um belo projeto de “reinventar” alguns vinhos para garantir mais  elegância, taninos mais macios, sem perder a força, estrutura e potencia da fruta.  A Marques de Casa Concha foi lançada em 1976 em homenagem a este título de nobreza, posicionando-o como um vinho nobre e tradicional. A linha começou com a variedade Cabernet Sauvignon (colheita 1972) do reconhecido vinhedo de Puente Alto, situando imediatamente Marques de Casa Concha como emblema da Viña Concha y Toro naquela época. Em 1989 foi incorporado um Chardonnay do vinhedo Santa Isabel, de Pirque, seguido um ano depois por um Merlot do vinhedo de Peumo.

O vinho surpreende pela qualidade. Um dos ícones da vinícola Concha y Toro, Marques de Casa Concha Carménère é o lançamento mais recente dessa linha. Trata-se de um vinho maduro, vigoroso, marcado por fruta negra, ervas secas e sândalo.

2º Vinho: Winemaker’s Lot 148 Carménère

Elaborado no  Vale do Rapel no Chile, o Winemaker’s Lot traz a casta Carménère em sua expressão mais pura e autêntica. Produto do trabalho incansável da Concha y Toro, este vinho é aposta certa para os apreciadores de vinho.

concha-y-toro-winemaker-lot-148-carmenere-2013-40952-0711-25904-2-product

Winemaker’s Lot é um vinho de produção limitada que possui uma proposta diferenciada e é fruto de um minucioso estudo de terroirs, e expressa com maestria o melhor de suas cepas, representando com perfeição seus característicos aromas e texturas. Resultado de um projeto da vinícola focado em mercados externos, esta linha é exclusivamente produzida  sob encomenda.

3º Vinho: Concha y Toro de Terrunyo Carménère

O Terrunyo Carmenere é elaborado em Peumo, dentro do Vale de Cachapoal, acrescido de um pequeno percentual de Cabernet Sauvignon. Sua cor é extremamente escura, quase negra, com um intenso aroma de menta, framboesa, creme de cassis, chocolate negro e uma sensação mineral, de grafite e pedras molhadas. No paladar é de médio corpo a pleno, com taninos brilhantes, saborosos e pastosos, de boa acidez. Uma pequena parcela de sua safra 2013 passará por maceração carbônica, e estagiará somente cinco meses em barricas de carvalho, contra os 12 meses desse Terrunyo Carmenere 2012, o que o deixará muito mais fresco, em um estilo completamente novo. Terrunyo é um Carmenere poderoso, onde a qualidade corresponde ao seu preço, que deveria envelhecer bem na garrafa para ser bebido.” Robert Parker´s Wine Advocate”

side_concha_y_toro_terrunyo_block_27_carmen_re_2007

4º Vinho: Concha y Toro de Carmín de Peumo Carménère

Um ícone da Conha y Toro, procedente do melhor vinhedo para carménère o de Peumo, no Vale de Cachapoal leva no blend também pequenas parcelas de Cabernet Sauvignon e de Cabernet Franc. Cor rubi intenso com toques violáceos. Os taninos são agradáveis, densos, com final de boca persistente nuances minerais fácil de degustar, como uma mistura de Bordeaux, mas com a leveza das frutas do novo mundo. Eleito pela Descochardos o melhor carménère do Chile, o Carmin de Peumo é também candidato ao melhor carménère do mundo na opinião de quem o degusta.

Carmín-de-Peumo-05-cópia

Sobre a Concha Y Toro.

Em 1883 foi fundada a Vinã Concha y Toro em Pirque, e hoje com 130 anos de história, é o produtor líder na produção de vinhos no Chile. Foi a primeira vinícola no mundo a negociar em 1994 suas ações na Bolsa de Nova York , e em 1997 foi oficializado a Joint Venture entre a chilena Concha y Toro e a francesa Baron Philippe de Rothschild, o que causou nos anos posteriores  o  fortalecimento da marca  com alcance global. No ano de  2010 consagrou a aliança estratégica com Manchester United e em seguida a compra da  Fetzer Vineyard na Califórnia, tornando-se uma das gigantes do vinho.

O Valle de Cachapoal foi Selecionado pela Concha y Toro como o melhor vale para o desenvolvimento da Carménère em seu portfolio de vinhos Premium: Casillero del Diablo, Gran Reserva Serie Riberas, Winemakers Lot, Marques de Casa Concha, Terrunyo  e Carmín de Peumo.

15e1efe8-bf1a-422d-b964-463b9bba1d91

Uma vinícola premiada e consagrada no mundo:

Com um portfólio premiadíssimo em todo o mundo, o Don Melchor participou com sucesso no Wine Spectator grand tour.  No mês de abril deste ano o Don Melchor foi apresentado em um dos eventos mais importantes da indústria do vinho. conchaytoro Por conchaytoro, em maio de 2016.

vinhos

Anualmente a revista Wine Spectator organiza uma das atividades mais aguardadas para o mundo do vinho, onde se reúnem os melhores exemplares de vinícolas de todo o mundo. A exemplo é o  icônico  Don Melchor que esteve presente nos eventos ocorridos nas cidades de Nova York, Washington e Las Vegas e participou com 244 mostras de vinhos, todos pontuados acima de 90 pontos. Em cinco estados norte americanos e mais 14 países, o público pôde provar a safra 2012 do Cabernet ícone do Alto Maipo, recentemente classificada com incríveis 95 pontos concedidos pelo crítico Kim Marcus, responsável pela degustação dos vinhos chilenos para esta publicação.

Sobre o Restaurante Bartolomeu:

Uma das grandes atrações do Restaurante Bartolomeu é sua impecável adega que possui mais de 400 rótulos de vinhos oriundos de  diversos países produtores como: Argentina, Chile, Uruguai, Espanha, França e Portugal. Todos os vinhos com preços bem competitivos, além do empório com seus produtos gourmet de alto padrão. A  adega é toda  climatizada para manter a bebida na temperatura ideal para uma excelente experiência, pois está sempre aberta para receber  eventos e encontros de confrarias, sempre com a assessoria do experiente sommelier da casa Cintra Neto.

Por Su Maestri

Fotos: Divulgação.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: